HOME Fique por dentro das principais alterações da EFD Contribuições

Fique por dentro das principais alterações da EFD Contribuições

Com o início da obrigatoriedade da EFD-Reinf, que inclui as informações relativas à Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, a CPRB deixa de ser informada no bloco P da EFD-Contribuições. Assim, as pessoas jurídicas em geral, pertencentes ao grupo 2, que entregaram a EFD-Reinf de janeiro/2019, estão dispensadas de enviar as informações da CPRB, de que trata a Lei nº 12.546 na EFD-Contribuições, desde a referida competência.

Demorou, mas a Receita Federal alterou a Instrução Normativa nº 1.252 de 2012, que dispõe sobre a Escrituração Fiscal Digital das Contribuições Incidentes sobre a Receita (EFD-Contribuições) e incluiu o parágrafo 5º ao artigo 4º da referida norma:

“§ 5º – A obrigatoriedade de escrituração da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta referida nos incisos IV e V do caput, na EFD-Contribuições, não se aplica aos fatos geradores ocorridos a partir dos prazos de obrigatoriedade definidos na Instrução Normativa RFB nº 1.701, de 14 de março de 2017, para escrituração desta contribuição, na Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais (EFD-Reinf).”

O que dispõem os incisos IV e V do art. 4º da Instrução Normativa nº 1.252 de 2012:

“Art. 4º – Ficam obrigadas a adotar e escriturar a EFD-Contribuições, nos termos do art. 16º da Lei nº 9.779, de 19 de janeiro de 1999, e do art. 2º do Decreto nº 6.022, de 2007:

IV – em relação à Contribuição Previdenciária sobre a Receita, referente aos fatos geradores ocorridos a partir de 1º de março de 2012, as pessoas jurídicas que desenvolvam as atividades relacionadas nos arts. 7º e 8º da Medida Provisória nº 540, de 2 de agosto de 2011, convertida na Lei nº 12.546, de 2011;

V – em relação à Contribuição Previdenciária sobre a Receita, referente aos fatos geradores ocorridos a partir de 1º de abril de 2012, as pessoas jurídicas que desenvolvam as demais atividades relacionadas nos arts. 7º e 8º, e no Anexo II, todos da Lei nº 12.546, de 2011.”

As alterações comentadas foram introduzidas na IN RFB nº 1.876/18.
Por: Carina Freitas, Consultora Fiscal Actionsys


ERP na nuvem ou On Premise: Qual o melhor para sua empresa?

A dúvida entre o ERP na nuvem ou On Premise é comum, principalmente entre pequenas e médias empresas. Entretanto, descobrir qual é o melhor dependerá das necessidades de cada companhia, bem como seu sistema de gestão. Nesse contexto, é possível destacar alguns pontos que diferenciam a versão online da física. Da mobilidade ao investimento, diversos […]

Aplicativos móveis para JD Edwards: eles existem?

O desenvolvimento de aplicativos móveis híbridos para JD Edwards é uma maneira de tornar essa ferramenta ainda mais acessível. Afinal de contas, quem consegue viver sem um smartphone hoje em dia? Apesar de ser um instrumento que traz muita praticidade para quem trabalha com tecnologia, o uso de tablets e smartphones no Brasil para utilização […]

Como escolher o software jurídico ideal para a gestão de escritórios de advocacia?

A escolha de um software jurídico não é uma tarefa fácil. Afinal, para encontrar um programa que realmente profissionalize cada fase do trabalho do departamento ou de um escritório, independente do seu tamanho, é necessário levar em conta diversos critérios. O software jurídico ideal vai além das funcionalidades simples de um sistema de gestão.  A […]

Como o SAP Business One contribui para a gestão de frotas e logística nas transportadoras?

Um dos principais objetivos das transportadoras é melhorar a gestão de frotas. O planejamento e controle desses processos logísticos são essenciais para as empresas que buscam a redução de gastos e riscos, bem como o aumento de produtividade e da competitividade diante da concorrência. Contudo, para realizar uma boa gestão de frotas, é muito importante […]