HOME A importância de um segundo (ou terceiro) idioma para o mundo corporativo

A importância de um segundo (ou terceiro) idioma para o mundo corporativo

Muitas pessoas já passaram por esta situação: ter de participar de interações de trabalho em outro idioma (seja um e-mail, uma reunião, um manual, ou coisa do tipo) e não conseguir dar seu melhor por não ter domínio daquela língua. Ou, ainda pior, não conseguir participar ativamente por conta da mesma questão.

Vivemos em uma época em que o fluxo de informações é extremamente facilitado. Em um clique, conseguimos obter informação sobre praticamente qualquer coisa, a qualquer momento e em milhares de fontes diferentes. Uma busca em sites como Google e YouTube nos fornece possibilidades imensuráveis de aprendizado.

Existe muito conteúdo bom e confiável em português – afinal, as ferramentas de tradução estão cada vez mais rápidas, então, mesmo que o conteúdo esteja em outro idioma, em questão de dias alguma boa alma precise desse mesmo material em português e o traduza – mas ainda há muito conhecimento que não possui tradução. Nesse caso, o que fazer? Recorrer a alguma ferramenta de tradução on-line e rezar para que essa tradução seja confiável? Acessar outra plataforma e ver se alguém já fez a mesma pergunta que você?

Todas as opções são viáveis quando se trata de informações que precisamos para nossa vida diária. Mas, e no trabalho? Esses passos são válidos nesse ambiente?

A cada ano que passa, torna-se cada vez mais importante a necessidade do estudo e do domínio básico de um segundo (ou terceiro) idioma. Há 10 anos, a demanda pelo segundo idioma era condicionada a três situações: (i) se a pessoa trabalhava em uma multinacional e queria ter um mínimo crescimento em sua função, tinha que ter ao menos um segundo idioma; (ii) se a pessoa estivesse procurando emprego, isso seria um grande diferencial na contratação; (iii) aqueles que não queriam sair da zona de conforto e seguir a carreira somente falando português, ficavam no mercado nacional. Mas havia duas diferenças cruciais: o mercado estava aquecido e a internet não era esse monstro que é hoje.

Atualmente, por conta do largo avanço da internet, a troca de informações é muito intensa. Empresas nacionais sofrem grande impacto com o mercado global e, invariavelmente com seu crescimento, acabam tendo contato com clientes do exterior. Além disso, o mercado está cheio de pessoas cada vez mais preparadas e inteiradas no universo da tecnologia e, com isso, as que estão despreparadas e que não estejam dispostas a aprender, acabarão (ou já estão) ficando para trás.

Mas nem tudo está perdido. Existe uma infinidade de recursos disponíveis para quem quer – ou precisa – aprender um novo idioma.

Há boas e seguras plataformas de aprendizado que podem dar àqueles que não têm fundamento básico em idiomas, um pontapé inicial para os estudos. O Duolingo, aplicativo de ensino de línguas, hoje com 70 milhões de usuários, é uma dessas opções para quem é autodidata. Essa ferramenta conta com 30 diferentes idiomas e, nela, o usuário consegue praticar a leitura, escrita e a pronúncia de maneira prática e clara.

Existem inúmeras escolas on-line que atendem a demanda por estudo para aquele aluno que não consegue acompanhar aulas regulares em sua rotina de trabalho. Sem contar com as escolas de idiomas (algumas com métodos rápidos e simples de ensino), professores particulares e infinitos recursos espalhados por aí que podem tornar o aprendizado melhor e mais rápido.

Se estivermos falando de uma pessoa que não tem nenhum fundamento em outro idioma, o primeiro passo é sair da zona de conforto e avaliar qual seria o melhor idioma para estudar. De posse dessa informação, o importante é buscar qual é a melhor maneira para iniciar os estudos – seja com aulas presenciais, on-line, de maneira autodidata, em um grupo de estudos com os colegas de trabalho, etc.

Para aqueles que já têm conhecimento mediano em algum idioma e está levando como pode, usando mais ou menos o que sabe para se virar, o melhor é utilizar ferramentas sobre as quais já falamos aqui nesse artigo para melhorar suas habilidades. Há cursos específicos voltados para negócios que dão ao estudante vocabulário e práticas para conseguir interagir no mercado de trabalho de maneira mais acertada.

Mas o mais importante quando o assunto é aprender o que quer que seja, é: ter iniciativa, incluir o idioma na sua vida de maneira consistente e mudar o ponto de vista sobre iniciar (ou retomar) um aprendizado depois de ter iniciado a carreira.

Com iniciativa, boa vontade e dedicação, qualquer pessoa pode ter sucesso em aprender. De nada adianta se inscrever em um curso de idiomas e não fazer sua parte – estudar o que foi ensinado, aproveitar todas as oportunidades para praticar, seja na empresa ou fora dela, utilizar mais de um tipo de ferramenta de ensino e fazer um pouco todos os dias. Seja consistente: descubra o que te diverte em português – sejam filmes, músicas, leituras – e faça o mesmo em outro idioma. E, finalmente, encare todos os desafios que o mundo corporativo joga para cima de você com outros olhos. Recebeu um e-mail em outro idioma? Leia, traduza, tente responder e, se não conseguir, peça ajuda. Participe daquela reunião mesmo sem ter 100% de certeza do que está ouvindo.

É assim que o aprendizado acontece: dando passos simples, constantes e tendo coragem e humildade para admitir que não é possível saber de tudo. É preciso se mexer para fazer as coisas acontecerem. Então, mãos à obra! Tenha iniciativa e muita disposição para atingir seus objetivos.
Por: Lygia Larangeira – Consultora Funcional Actionsys

ERP na nuvem ou On Premise: Qual o melhor para sua empresa?

A dúvida entre o ERP na nuvem ou On Premise é comum, principalmente entre pequenas e médias empresas. Entretanto, descobrir qual é o melhor dependerá das necessidades de cada companhia, bem como seu sistema de gestão. Nesse contexto, é possível destacar alguns pontos que diferenciam a versão online da física. Da mobilidade ao investimento, diversos […]

Aplicativos móveis para JD Edwards: eles existem?

O desenvolvimento de aplicativos móveis híbridos para JD Edwards é uma maneira de tornar essa ferramenta ainda mais acessível. Afinal de contas, quem consegue viver sem um smartphone hoje em dia? Apesar de ser um instrumento que traz muita praticidade para quem trabalha com tecnologia, o uso de tablets e smartphones no Brasil para utilização […]

Como escolher o software jurídico ideal para a gestão de escritórios de advocacia?

A escolha de um software jurídico não é uma tarefa fácil. Afinal, para encontrar um programa que realmente profissionalize cada fase do trabalho do departamento ou de um escritório, independente do seu tamanho, é necessário levar em conta diversos critérios. O software jurídico ideal vai além das funcionalidades simples de um sistema de gestão.  A […]

Como o SAP Business One contribui para a gestão de frotas e logística nas transportadoras?

Um dos principais objetivos das transportadoras é melhorar a gestão de frotas. O planejamento e controle desses processos logísticos são essenciais para as empresas que buscam a redução de gastos e riscos, bem como o aumento de produtividade e da competitividade diante da concorrência. Contudo, para realizar uma boa gestão de frotas, é muito importante […]